unhas

Turmalina

Esmalte velho que todo mundo já viu! haha. Na verdade, é da coleção do Reinaldo Lourenço pra Risqué do inverno do ano passado, que foi uma das que eu mais gostei (óbvio, dado que era toda azul e roxa). Tinha três roxos acho, esse é o mais claro e mais rosado, nas fotos ele até puxou mais pro rosa do que é ao vivo.

Pinta bem, continua bem fino mesmo depois de quase um ano de eu ter comprado (yey!) e dura bastante! Tirei essas fotos alguns dias depois de ter feito a unha e minha mão tem alguma química bizarra que faz todo esmalte descascar fácil!

Honestamente não sei se esse esmalte ainda existe, mas acho que deve dar pra achar com amiga maníaca (o/) ou em ikesakis da vida.

Rain

Esses esmaltes da Eyeko são tão bonitinhos! haha. Comprei esse em na Drogaria Iguatemy (onde vende maquiagem da marca também, além de esmalte Revlon mais barato e esmalte da Orly) e na verdade fiquei muito tempo em dúvida entre ele e o Cosmic mas o azul-acinzentado do Rain acabou me ganhando.

Um dos motivos que eu escolhi ele é porque esse azul claro que é pálido, mas não é pastel e que tem um fundo bem cinza me pareceu diferente de tudo que eu já tenho e de fato o meu único outro azul claro, o da da Essie, é bem diferente. Outra coisa que gostei muito é que eu tenho mania de esmaltes de inverno e verão e esse pareceu versátil pro ano todo.

O único outro esmalte da Eyeko que eu já tinha usado é o Vampira que tem glitter e por isso é o inferno de passar, mas esse não, é bem fino e desliza bem, ao mesmo tempo que é bastante opaco, na primeira camada já dá uma boa cobertura, o que é raro pra um esmalte tão claro (e ótimo, porque evita a terceira camada). Também achei a duração boa, tinha feito a unha no sábado, essas fotos são da quinta e tem só algumas pontinhas tinham descascado.

A última coisa é que eu achei que ele tem um pouco a mesma vibe do Riva da Chanel ( aqui no Laquerized e aqui no Dia de Beauté). O Riva é mais azul e consequentemente mais verão e praia, o Rain é mais cinzento e mais inverno/cidade, mas acho semelhantes e ok que a Eyeko não é tão barata quanto Risqué e Colorama, mas sai por 25 na Sacks ou na Drogaria Iguatemy enquanto um esmalte Chanel sair por 22 dólares nos EUA, 23 euros na Europa e 96 reais aqui! Ou seja…

Coque

To viva! hahaha, depois da semana com o maior trabalho do mundo, que eu totalmente não dei conta de fazer e viver ao mesmo tempo, voltei! Com post de esmalte por pura preguiça…

Esmalte da manicure, que raro! É o coque, daquela coleção Pop4you da Risqué. Quando eu comentei do Twiggy eu falei que tinha achado o Coque um vinho meio comum e não me animei de comprar e isso é bem verdade. É lindo e bem chique, de verdade, mas não é muito diferente do Gabriela ou do Carmim, que eu já tenho, então fiquei feliz de não ter comprado e experimentado o da manicure mesmo.

Na luz ele é bem vermelho, mas na sombra tem um subtom um pouco marrom que deixa ele um pouco mais diferente e bem chique. Como a manicure que fez e eu estava concentrada na Elle eu não sei como ele pinta, mas me pareceu bom, fino suficiente e durou bem, fiz sábado e só foi descascar na quinta. Enfim, é um bom esmalte  e uma ótima opção de vinho se você já não tem 200.

 

Violet Guess

Esmalte sem marca, eba! \o/ hahaha

Na verdade, minha mão tá tampando, mas dá pra ler La Femme Beauty no vidro e a cor fica pequenininha do lado chama “Violet Guess”. Eu comprei esse esmalte na feirinha de Portobello Road em Londres, já faz algum tempo, mas acho que foi alguma coisa como dois por 5 libras e tinha várias, várias cores. Acabei decidindo mostrar aqui porque vai que alguém quer emprestado ou vai pra lá ou gosta tanto da cor que decide comprar no Amazon, haha.

Eu pesquisei a marca no Google e não achei site oficial, mas no Amazon.uk vende, não acho que alguém vai comprar, mas é bom pra saber que não foi feito no fundo do quintal de alguém. No fundo, eu decidi postar porque tenho vários esmaltes sem marca ou de marcas totalmente aleatórias e quase nunca tive problema com eles, normalmente são baratinhos, tem cores divertidas e pode ser que você se surpreenda, além do que, ninguém mais vai ter sua cor.

Esse esmalte é um roxo rosado bem bonito, que lembra um pouco o Apuro Violeta, mas sem o brilho. Ele é muito fino e transparente, tanto que precisou de três camadas e acho que se minha unha estivesse mais comprida ficaria feio na parte branca, mas desliza bem e dura bastante (provavelmente por ser tão fino), fiz a unha sábado e hoje ainda não tem nenhuma ponta descascada, exceto no indicador da esquerda (da pra ver de leve na foto), mas a culpa foi minha.

O problema é que demora demais pra secar, fiz a unha e mais de uma hora depois fui comer comida chinesa e o pauzinho (ia escrever hashi, mas sei lá se é assim e to com preguiça de procurar) estragou um pouco. Ainda uma meia hora depois disso eu cochilei no sofá e várias unhas ficaram marcadas.

Então assim, é um bom esmalte, não é perfeito e não foi particularmente barato, mas não foi uma fortuna, a cor é linda e eu me divirto com a experiência!

Na Mira 3D

Mais Imapala, haha… que eu insisto em dizer que é ruim, mas eles insistem em fazer cores incríveis. Esse é de uma coleção do SPFW, tinha comprado ele e um verde militar, mas a Cleo derrubou o vidro no chão que quebrou e espalhou tudo, yey! haha.

Enfim, esse Na Mira é um glitter, mas em vez da base transparente, que nem daqueles que a gente usava em 1999 ela é uma espécie de cinza chumbo o que deixa a unha inteira coberta. A cor é também meio cinza/prata e tem um efeito holográfico que provavelmente é o tal 3D do nome.

Além do efeito lindo, ele é bom de passar, mas acho que é por conta da base gelatinosa, que se “molda” melhor na unha e foi bem fácil de limpar, o que é uma surpresa pra qualquer esmalte que contenha glitter. Da duração não posso falar, pintei domingo a noite, fiz essas fotos ontem e dá pra ver alguns descascados, mas eu mexi com Veja e detergente,que sempre acabam com meu esmalte, então não tenho como saber quanto ele duraria sem esses acidentes.

Brilha no sol! hahaha

Enfim, eu  amei, amei, achei a cor diferente e linda.

Cisne Negro: como eu fiz

Domingo eu fui em uma balada que podia ser a fantasia, acho que tem a ver com o cinema, mas eu adoro uma fantasia, haha. Mas eu tinha pouco tempo, pouca coisa e tinha visto 200 mil (mentira, 3) tutoriais de maquiagem de Cisne Negro na internet, ou seja…

Eu escolhi o tutorial da Michelle Phan, achei mais fácil, mais adaptável às coisas que eu já tinha e eu acho ela bem didática. Tem esse também, mas achei o resultado final meio feio e o da Julia Petit, só que achei que ela usou coisas muito específica e o desenho muito diferente do original (não que o meu tenha ficado parecido, mas era a intenção inicial). Na verdade, eu só assisti o vídeo da Michelle Phan uma vez e depois fui meio na intuição, aí ficou um pouco listrado demais, o dela é mais suave e mais parecido com penas mesmo.

Foto do photobooth, haha. Então, não foi difícil de fazer, na verdade eu fiquei pronta em meia hora e nem precisei refazer nada. Tirar também não foi um inferno, lavei bem os olhos com shampoo de bebê (Johnson’s baby chega de choro, aquele amarelinho sabe?) e tirei o que ficou (principalmente na sobrancelha) com demaquilante. Eu uso o bi-fácil da Lancôme, não vou dizer que qualquer um serve porque eu tenho pouca experiência com demaquilantes, esse é o que minha mãe usa e eu meio que herdei (aliás, usei um da Clinique uma época, pelo preço parecido, acho o bi-fácil bem melhor), mas acho que você pode usar o que preferir, agora, eu realmente recomendo a parte do shampoo de bebê pra tirar uma maquiagem tão pesada, porque é mais rápido e evita que você gaste seu demaquilante caro e fique se esfregando a toa.

Demaquilantes a parte, não é difícil de fazer, nem requer coisas muito específicas, mas eu acho mesmo que se não tivesse o fluidline da M.A.C  e tentasse usar um delineador normal (mesmo que de caneta) a coisa toda seria bem mais complexa. Enfim, o que eu usei:

Em sentido horário, começando pela base: Base Studio Fix Fluid M.A.C (minha cor é NW20); corretivo Duda Molinos, ainda da linha velha, minha cor é a 02 (não recomendo muito esse corretivo não, comprei no desespero e tem dado pro gasto, mas existem melhores) ; Estojo de sombras que não sei de onde veio, mas roubei da minha mãe; Pincel gordinho que veio em um kit que comprei na Sephora mil anos atrás; Pincel chanfrado Contém 1g; Pincel Ariana número 4 (vende na Audrey, perfumaria da liberdade e no Loosho); Pincel de sombra Contém 1g; Glitter Topshop, cor Lagoon; Pincel pra côncavo Proart, não sei o número porque joguei a embalagem fora e não diz no pincel (mas vende na Ikesaki, também na Liberdade); Pincel de base Contém 1g; Sombra preta com brilhos Sephora, cor 121; Batom M.A.C Dark Deed; M.A.C fluidline (minha cor é Blitz and Glitz, um preto com glitter dourado que nem dá pra ver); Batom Duda Molinos Cuba; Quarteto de Sombras Maybelline, cor Designer Chocolate (só usei a branca); Rímel Maybelline The Falsies (não vende aqui, mas não sei porque, é tipo um super The Colossal)

Ufa! Acho que nunca tinha feio uma maquiagem com tanta coisa. Primeiro, como manda a Michelle Phan e as moças espertas do blog da Lancôme, fiz o desenho com lápis branco (um da Contén 1g, não mostrei porque só serviu pra isso mesmo), depois contornei com o fluidline e o pincel chanfrado. Depois molhei esse pincel 4 da Ariana (que é bem chatinho) e com a sombra preta fiz os traços dentro (não quis arriscar delineador, porque seria mais difícil de limpar se eu errasse), com a mesma sombra e o mesmo pincel preenchi os espaços pretos. Depois, com o pincel de côncavo da Proart também molhado eu misturei as sombras pratas e brancas do estojo desconhecido e pintei as partes que faltavam. Por último esfumei tudo com a sombra branca da Maybelline e o pincel de sombra da Contém 1g e passei o rímel mais exagerado que eu tinha (não usei curvex por medo de borrar alguma coisa). As sobrancelhas reforcei com sombra preta (essa da Sephora) e a boca é uma mistura desses batons (que eu já mostrei aqui) e um pouco antes de sair, com o pincel de sombra, espalhei o glitter pra dar um ar carnavalesco, haha.

Como blush, eu usei essa sombra, é a Aubergine do Duda Molinos (esqueci de por na foto de cima), na verdade, é mais um contorno, então eu suguei as bochechas e passei no buraco com aquele pincel gordinho, em vez do pincel normal de blush. E sim, parece um hematoma bizarro, mas era necessário, haha.

O coque de bailarina é fruto de anos e anos de experiência, mas se resume a fazer um rabo, enrolar em um coque, encher de grampos e passar spray como se sua vida dependesse disso. Por fim, Cisne Negro fácil, com maquiagens mais ou menos corriqueiras. E uma última, linda, foto de iphone, haha:

É que nessa dá pra ver melhor o batom e a sombra que o “blush” faz.

(meu esmalte é o Na Mira 3D da Impala, depois falo dele)

Peacock

Pela primeira vez na história um nome de esmalte que tem a ver com a cor! Eu chamaria esse esmalte de azul petróleo, mas acho que azul pavão funciona também… E sim, ele é azul, mas não adianta, tentei, tentei e a câmera não capta o azul do esmalte.

É a primeira vez que eu uso esmalte da American Apparel e eu fiquei muito surpresa com a boa qualidade, principalmente pelo preço, todos os esmaltes que eu tenho que são assim tão bons custam mais que ele (tipo Essie, Opi e Chanel). Ele é muito cremoso, cobre super bem e mesmo assim é fino e desliza bem na unha, a cor é bem fiel a do vidro o que depois de consecutivas frustrações eu considero uma ótima coisa.

O que eu mais gostei da cor, que minha câmera linda e cara, por mais linda e cara que seja não conseguiu captar, é que ela é bastante versátil. O azul/verde é escuro suficiente pro inverno (e pra minha obsessão com esmaltes escuros), mas alegre suficiente pra ficar bem na piscina e tem um certo subtom de cinza que torna a cor relativamente discreta. E eu não usei flash, ele refletiu assim porque brilha MUITO. (acho bonito)

Ele só não dura excepcionalmente bem, fiz a unha no sábado, tirei essas fotos hoje (terça) e já da pra ver uns lascados. Sei que 4 dias é mais ou menos a média, mas sinceramente acho pouco, por outro lado, nenhum esmalte tem durado mais que isso em mim então sei lá, vai que é minha mão ou alguma coisa que eu uso/faço (só pra constar eu não lavei louça, nem fiz nada obviamente estragador de esmalte)

Agora vou ser sincera e dizer que não tenho a menor ideia se vende esmalte na American Apparel daqui ou não, todos os sites/matérias que vi diziam que ia chegar aqui, mas ninguém dizia se chegou e no site da American Apparel pro Brasil eu não consegui encontrar os esmaltes. De qualquer forma, nos Estados Unidos vende em qualquer loja deles e tem um monte de cores, custam 5 dólares cada (pra comparação: Essie e Opi custam 8 dólares cada esmalte, Revlon custa 5, mas achei o da AA melhor) e não tem Formaldeído, DBP nem Tolueno então é bom pra alérgicas (e neuróticas em geral).

Obs: eu gosto da Risqué e da Colorama, mesmo, até por elas custarem tão barato. Mas como eu não ligo de pagar caro em esmalte acho que existem outros melhores por aí.