inspiração

Vanities

A pessoa fica uma semana longe e quando volta é com post meio preguiça… isso é o que procrastinar todas as coisas do universo durante o feriado faz com você.

Enfim, se tem uma coisa que eu tenho gostado muito nas últimas coleções é esse clima mais “adulto”, em que tudo parece chique e sofisticado e achei que é bem esse o espírito desse editorial pra Io Donna

Monocromático fica uma coisa linda com brilho (esse vestido preto comprido é Marc Jacobs, a Nicole Richie usou um parecido no baile do Met do ano passado e eu dou um dedo por ele)

As duas modelos da direita mostrando como minimalismo pode ser muito legal

As texturas, o brilho, essa cara de roupa quentinha. Quero muito usar esses tricôs enormes e gostosos.

Não tenho ideia de onde é o vestido da segunda moça da direita pra esquerda, mas sei que eu quero.

Essa saia dourada é tipo a síntese do tal downtown lady (meio madame, meio moderna) e o vestido preto e branco minimalista ❤

E brincos de Edie Sedgwick pra terminar.

[Editorial da Io Donna, não sei o mês, fotografado pela Catherine Servel]

The blues are still blue

Maquiagem colorida! Porque tem aparecido em todo lugar e eu tenho gostado muito, acho um ótimo contraste com as roupas mais neutras e minimalistas, além disso acho que se você acha a cor certa, usar com intensidade realça super bem as suas próprias cores.  Na Nylon de março veio um editorial ótimo com sombras coloridas usadas como delineador, vou ver se consigo colocar aqui.

Por enquanto, maquiagem colorida via Elle francesa:

Tipo aqui, tanto a sombra amarela quanto o baton coral (que parece muito o Bali da Contém 1g) realçam o olho azul da modelo

Sombra verde limão e combinação fofinha se sombra rosa clara com baton rosa forte mate (quero tentar! tenho um baton rosa e mate ótimo, também da Contém 1g)

Ok que não é pra sair na rua assim, mas acho ótima a ideia de combinar o blush mais marcado com baton também forte, coordenando tons de laranja e rosa (que ficam muito bem juntos, inclusive em roupas)

Delineador rosa forte é discreto, simpático e diferente. Sombra roxa realça qualquer tom de verde que você tenha nos olhos (meu olho é verde acinzentado e eu uso sombra roxa sem parar)

A sombra roxa aqui tem um acabamento lindo, parece que passou gloss por cima (rola fazer isso, faz melequinha, mas fica lindo) e eu adorei a ideia de fazer um olho esfumado, com sombra no contorno com uma cor alegre em vez de vermelho/preto

[Editorial da Elle France, não sei o mês, fotografado por David Slijper e Fabrice Bouquet com com a Toni Garn]

Little Manhattan

Outro dia eu vi Little Manhattan na tv, já queria ver há um tempo e aproveitei que passou de tarde em um dia tranquilo o filme é tão, mas tão bonitinho que até enjoa, haha, e o figurino da Rosemary é uma graça, apesar dela só ter 11 anos.

Acho que é o único momento do filme que ela aparece em cores frias. Sei que parece muito “combinadinho” ou 11 anos, mas cardigan e camiseta em diferentes tonalidades da mesma cor pode ficar legal (e monocromático tá na moda)

Rosa forte com amarelo ficou tão lindo! A Rosemary está o filme todo em rosa forte, amarelo e laranja e até eu, que não sou de cores fortes, acho lindo.

Calça jeans, camiseta branca, a jaqueta rosa e bolsa amarela. Muito, muito simples, mas fica diferente por causa das cores.

Calça branca e camisa/bata rosa forte, bem fresco, bem charmoso e “quero sair assim verão que vem” (mas de jeans ou short, não pratico calça branca)

Close na camisa, essa gola com a camiseta aparecendo por baixo fica bem legal (e sexy se você tiver mais de 11 anos, haha)

Eu queria mais fotos, ela tem uma infinidade de roupas bonitinhas, mas não encontrei… De qualquer forma ainda volto pra falar do filme.

Like a Rolling Stone

Acho a Jaqueline Jablonsky linda e adoro ver editoriais em que de fato eu poderia comprar as coisas, então… Catálogo de primavera da H&M! Eu sei que devia estar ficando frio e que essa imagens estilo polaroid com o sol invadindo loucamente o quadro são mais propícias pra pessoas se preparando para o verão, praia e Coachella ou Glastonbury (!), mas a campanha é tão cheia de referências inteligentes aos anos 70, que eu não me contive.

Eu amo essa luz! E o esmalte (e tem esse moço bonito aí no canto…)

Já que você vai se inspirar em anos 70, por que não Cherrie Curie?

ou levemente Diane Keaton?

Tão boho, tão linda, tão Woodstock (se eu no Coachella ia quere me vestir exatamente assim)

Os brincos e a maquiagem exótica são tão Yves Saint Laurent nos 70. E eu adoro como o fotógrafo balanceou uma imagem que podia ficar poluída demais, com a estampa de bicho e tal, com o preto e branco.

Já pode se sentir a Penny Lane pro próximo verão?

(e cortar os pulsos porque vai ter Strokes e Arcade Fire no Coachella e eu estou aqui, há umas 20 horas de avião)

Uma Educação

“Educação” é um dos meus filmes preferidos na vida. Porque tem roteiro do Nick Hornby, porque a Carey Mulligan é uma graça, porque o figurino é todo 60’s e muito amor e, principalmente, porque eu me identifico com a Jenny. Camus, Nouvelle Vague, música francesa e obsessão com Paris além da ideia de uma vida cheia de livros e estudo mesmo que seja “hard and boring”. Gosto tanto que sexta passada fiquei em casa só pra assistir na tv.

Mas parou o oversharing e vamos ao figurino:

Não gosto de onça, mas o trench coat e as luvinhas ❤

A torre eiffel e esse óculos, esses óculos, onde eu consigo um igual? (eu sei onde, na ótica do shopping aqui perto, mas são Tom Ford e eu não posso arcar,haha)

Em Paris com vestido de quadro impressionista

Reparem na semelhança entre o vestido dela e o sofá, haha. Eu adoro adamascado (esse tipo de textura) não importa o quanto me digam que parece sofá. E vestido de noite com cardigã é, pra mim, combinação mais interessante do que com echarpe/pashmina (e eu nem mencionei o cabelo e o batom vermelho)

É meu vestido preferido do filme, tenho vontade de mandar a costureira fazer um igual, até porque esse modelo evasé com cintura marcada muito me favorece. E adoro como o vestido branco com detalhe vermelho é síntese de tudo que acontece no filme a partir dessa cena, esse é o tipo de direção de arte que merece meu amor.

Além das roupas mais glamourosas eu gosto muito do estilo “de verdade” da Jenny, incluindo o uniforme dela, um pouco tomboy 🙂

Acho bem adaptável essa coisa meio preppy, tipo a camisa com o sueter por cima ou a saia lápis,principalmente misturada com algumas peças mais modernas ou “rebeldes”.

Adoro mocassin e acho lindo com saia.

Só pra dizer duas coisas: essas bolsas lembram a PS1 da Proenza Schouler e eu obviamente quero uma igual.

Enfim, já que a terça foi modorrenta, mas a quarta promete ser pior Carey Mulligan sendo adorável por aqui.


“Studying is hard and boring. Teaching is hard and boring. So, what you’re telling me is to be bored, and then bored, and finally bored again, but this time for the rest of my life? This whole stupid country is bored! There’s no life in it, or color, or fun! It’s probably just as well the Russians are going to drop a nuclear bomb on us any day now. So my choice is to do something hard and boring, or to marry my… Jew, and go to Paris and Rome and listen to jazz, and read, and eat good food in nice restaurants, and have fun! It’s not enough to educate us anymore Ms. Walters. You’ve got to tell us why you’re doing it.”

 

Careless Love

Post da preguiça patrocínio do seminário de Introdução à Pesquisa, haha.

Na verdade, além de tudo que é obviamente feminino eu tenho gravitado um pouco em torno desse minimalismo “leve” dos desfiles de primavera do hemisfério norte, essa coisa de poucas formas, poucas (mas fortes) cores e um senso de “descomplicar a moda”. Achei esse editorial da Sure não exatamente minimalista, mas bem nesse estilo sem esforço

Adoro o contraste do vestido feminino com o casaco utilitário e os sapatos pesados

Eu sei que a proposta é outra, os tecidos são vaporos e tal, mas achei bem Jill Sanders essa saia colorida com a camiseta branca (eu gosto muito!) e essa maquiagem é muito linda.

Parka e botas tipo combate, mas a cor e as meias deixam bem feminino.

Tenho um blazer bem dessa cor, adoro como só de mudar a cor de uma peça você muda toda a mensagem dela.

Mais contraste entre a saia bem feminina, a blusa meio street e a jaqueta militar.

Cor! Como uma peça básica vira incrível só de você trocar a cor. E vai bem com toda essa “brancura” do minimalismo

Quero esse casaco agora pra usar com a unha vermelha igualzinha a dela! Morri, sem mais.

Adoro essa cor com preto, é a combinação perfeita pra leve com pesado, feminino e masculino, etc

Enfim, acho que vou grudar na porta do armário pra me lembrar todo dia de ser o mais simples possível e interessante nos contrastes.

[Editorial da Sure Magazine, não sei de que mês, se alguém souber ler coreano fique a vontade pra me informar/ Modelo: Sasha Pivarova/ Fotógrafo: : Olaf Wipperfürth]

[Título do post fornecido por Camera Obscura]

Melt My Heart to Stone

Eu tava evitando esses posts preguiça, mas é domingo então pode. Aliás, eu escrevi metade de um texto sobre 127 horas, preciso muito terminar e ainda quero falar sobre Em Um Mundo Melhor, mas enfim… Por enquanto esse editorial da Elle UK que é tão a cara da última primavera do Marc Jacobs que como não postar aqui?

Adoro a composição de cores das roupas, com as luzes e o chão.

Studio 54 chic! haha, (mas essa bolsa me lembra fuxico)

Morri com o vestido (a Mango fez um parecido um tempo atrás), mas dava um pé por essa sandália que super não ia favorecer minhas pernas, haha.

Acho que esse exato tom de verde com esse azul é minha nova combinação de cores favorita

Tem uma vibe frentista-chic né? hahaha, enfim, eu amei esse tom de cinza azulado

Tenho achado esse verde-dourado bem chique (e quero, preciso, morro sem essa sandália, mesmo que ela vá destruir meu tornozelo)

Mais desse verde lindo, que eu também tenho gostado bastante com vermelho ou laranja.

eu tenho 99% de certeza que esse macacão é Marc Jacobs, mas to com preguiça de checar no style.com. Adoro como o caimento solto e o tecido confortável deixam o macacão sofisticado, mas com uma espécie de conforto e facilidade de usar que eu tenho achado muito lindo ultimamente.

É engraçado porque eu não sou muito de usar cores, mas dessa vez elas tem vindo com esses tons mais profundos, meio de jóias, que tornam o vibrante mais sofisticado e menos chamativo. Estou considerando muito tentar isso aí.

[Editorial da Elle Inglesa de março de 2011, fotografado por Simon Burstall, com a Quinta Witzel]

*O título é de uma música da Adele, porque é roupa de diva, haha